Fisioterapia

A Fisioterapia é a área da saúde responsável pela prevenção, avaliação e intervenção nas dificuldades motoras humanas.

A Fisioterapia Pediátrica tem como objetivo desenvolver, com qualidade e eficiência, as potencialidades do recém-nascido, bebé, criança ou adolescente, de modo a que este adquira/readquira o máximo da sua função e independência, integrado na família e na comunidade. Isto será atingido com o envolvimento e participação ativa da família no processo de reabilitação da criança, desenvolvendo o seu potencial, tendo como meta a sua independência e autonomia permitindo ganhos ao longo do tratamento. Devido ao desenvolvimento constante na idade pediátrica, assim como a constante aquisição de habilidades motoras, é importante a criança ter um acompanhamento ao longo do seu ciclo de vida.

É fundamental o acompanhamento da família, pois as mesmas possuem um papel determinante na evolução da criança. As orientações e estímulos que são desenvolvidos durante a terapia, devem ser passados à família de forma a ser dada continuidade, promovendo o melhor desempenho e independência, assim coma as adaptações que possam ajudar a criança/jovem na sua inclusão na sociedade. 

Dentro dos objetivos existem aspetos fundamentais, tendo sempre em consideração a fase de desenvolvimento da criança, a idade e as limitações apresentadas:

  • Melhorar capacidade motora para ganho de funcionalidade;
  • Ganho de força muscular e flexibilidade de forma a evitar deformidades e posturas incorretas;
  • Melhorar capacidade e qualidade ventilatória;
  • Ganho de equilíbrio e qualidade da marcha;
  • Prevenção de patologias.

Os nossos Fisioterapeutas têm um papel fundamental na equipa multidisciplinar que faz parte integrante do desenvolvimento da criança, intervindo através do movimento nas atividades funcionais da mesma, contribuindo desta forma para a melhoria da qualidade de vida das famílias.

Exemplos de patologias nas quais o Fisioterapeuta intervém:

  • Paralisia Cerebral;
  • Síndromes;
  • Distrofia Muscular de Duchenne;
  • Atrasos de Desenvolvimento Psicomotor;
  • Doenças Respiratórias (Bronquiolite, por exemplo);
  • Patologias Ortopédicas (torcicolo congénito, lesão do plexo braquial, défices posturais, entre outros);
  • Traumatismos crânioencefálicos.

Se suspeita que a sua criança e/ou jovem possa ter qualquer alteração nestas áreas, não hesite em contactar-nos.

A nossa equipa de Fisioterapeutas está disponível para esclarecer todas as suas dúvidas!

Fisioterapia Respiratória Pediátrica

A Fisioterapia Respiratória Pediátrica, também conhecida como ginástica respiratória ou cinesioterapia respiratória, é uma das formas de tratamento de problemas respiratórios, como a tão falada bronquiolite, em recém-nascidos, bebés ou crianças. Esta infeção é mais frequente no Inverno e no início da Primavera, sendo considerada uma infeção que promove a produção exagerada de secreções, diminuindo o calibre das vias aéreas respiratórias, podendo levar a dificuldades respiratórias. A acumulação de secreções começa ao nível da via nasal que, se não for limpa com alguma frequência, através do soro fisiológico, pode levar a acumulação das secreções nas vias aéreas mais distais.

Objetivo da Fisioterapia Respiratória: Ajudar a eliminar as secreções acumuladas nas vias aéreas, de modo a normalizar a função respiratória do recém-nascido, bebé ou criança.

O que é a Fisioterapia Respiratória?

Consiste na aplicação de técnicas manuais que permitem mobilizar e eliminar as secreções do recém-nascido, bebé ou criança quando a tosse não é eficaz, as secreções encontram-se nas vias respiratórias distais (mais profundas) não sendo possível libertá-las autonomamente ou quando as secreções se encontram demasiado espessas. 

Estas técnicas consistem na reprodução do movimento normal de inspiração/expiração através das mãos do fisioterapeuta, permitindo a subida das secreções, de forma a serem expelidas posteriormente pela tosse (tosse provocada quando o bebé/criança não consegue tossir autonomamente).

A Fisioterapia não é aconselhada quando a criança apresenta febre, sinais de dificuldade respiratória à auscultação, a tosse não é produtiva (tosse seca), ou quando, à auscultação, denota-se que não há acumulação de secreções e que a criança apenas com a sua tosse eficaz consegue expelir as mesmas.

Na sessão de Fisioterapia Respiratória são também passadas estratégias preventivas, capacitando os pais/cuidadores da colocação do soro fisiológico de forma eficaz, prevenindo, desta forma, a acumulação de secreções e futuras infeções respiratórias.

É importante explicar aos pais/cuidadores que, apesar do choro do bebé/criança durante a sessão de Fisioterapia Respiratória, a mesma não provoca dor. Muitas vezes, o toque e o facto de estarmos a obrigar a manter uma posição ou a introduzir o soro fisiológico é o suficiente para criar desconforto na criança. Os pais podem sempre ficar a observar a sessão e é fundamental explicar todo o processo e as vantagens que podem surgir da Fisioterapia.

Todos os conselhos e dicas serão dados às famílias permitindo um Inverno e uma chegada do bom tempo mais tranquilo!

Quando se deve recorrer à Fisioterapia Respiratória?

Deve-se recorrer quando ocorre:

  • Obstrução nasal;
  • Tosse;
  • Aumento de secreções;
  • “Farfalheira” (acumulação de secreções);
  • Outros sintomas indicativos de infeção respiratória são as alterações do sono, alterações de apetite, prostração e febre.

Se considera que o seu bebé/criança pode beneficiar deste tipo de Fisioterapia, não hesite em contactar-nos.

A nossa equipa de Fisioterapeutas está disponível para esclarecer todas as suas dúvidas!

Aguardamos por si!

Entre em contacto connosco agora

Para mais informações, contacte-nos: